terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Pergunte Ao Passado.

Eu não conheço você, mas preciso que você me conheça... Tenho muita coisa pra explicar muito mais do que já registrei por enquanto.  Isso é só o começo.

Pode parecer confuso à princípio, mas tente acreditar.
   
Não faz muito tempo que tudo isso começou, era uma noite normal, as coisas ainda faziam sentido, tinham significado. Sou capaz de lembrar alguns detalhes, reviver...

Eu tava deitado, tentando dormir, pensando no dia seguinte como de costume, na banda, na faculdade.
O sono foi aumentando gradualmente, e exatamente quando a mente adormece, e aqueles pensamentos aleatórios característicos de sonhos começam aparecer quase como flashes, tudo começou.

A pseudo-realidade, onde você leitor se encontra, ainda estava muito presente na minha mente, e por isso eu estava tão confuso. Eu já não estava no meu quarto, era um lugar diferente, que eu nunca tinha visto, objetos, e corpos luminosos impossíveis de descrever, uma infinidade de coisas novas, um novo universo, nenhuma palavra que eu conhecia tinha algum significado que me ajudasse a entender, tudo novo!

“é lógico... eu dormi! Isso é um sonho, meus sonhos nunca fazem sentido, eu nunca me lembro dos meus sonhos! Não sei, é tudo tão novo, tão real!.”

Difícil descrever a mente de uma pessoa tão confusa. Imagine, 20 anos numa cidade normal, uma vida normal, uma rotina normal, tudo tão material, pensamentos tão condicionados, possibilidades tão poucas, mundo fechado pela própria cabeça... e de repente, os sentidos todos mudam, o olhos passam a ver um cenário completamente desconhecido, novas formas, novos cheiros, novos sentidos... foi um choque de realidade... o maior que qualquer mente pode enfrentar.

“Insanidade!  Eu fiquei louco! É isso! Eu to louco! Quão consciente da loucura é o louco? Não deve ser isso, como eu posso ser louco sabendo que sou louco, se for assim eu deixo de ser louco quando eu quiser... Além do que, isso é tão real.”

Meu reflexo apareceu, como um espelho, um espelho sem vidro, sem moldura, apenas minha imagem em uma superfície transparente e bidimensional.

 Era eu, meu reflexo, mas a minha aparência também mudou, mas eu sabia que era eu.
Era lógico que isso ia acontecer, instintivamente comecei a dar voz a todos os meus pensamentos. Falar TUDO que passa sua cabeça, na mesma velocidade com que as coisas estavam passando na minha cabeça naquele momento, não era fácil, a maioria das frases terminavam com interrogação.

Comecei a falar num ritmo mais acelerado, cada vez mais, até os sons saírem pela boca de maneira quase indistinguível, inaudível. Não demorou muito pra eu perceber que enquanto eu falava, meu reflexo foi gradualmente deixando de me acompanhar, ganhando independência, até  passar rir da minha cara! Depois de algum tempo, deixei de falar todos os pensamentos, e percebi que aquele, meu próprio reflexo, poderia responder às milhões de perguntas que passavam na minha cabeça:

Eu1- Onde eu tô?
Eu2- Você sempre precisa de um nome.
Eu1- Não é isso... eu só acho importante saber onde eu to... e aliás quem é você?
Quando eu pronunciava a palavra Você, ele subitamente a pronunciava comigo, no mesmo tom de voz, com a mesma expressão facial, como um bom reflexo deveria fazer o tempo todo. Mas era só durante o tempo de duração da pronuncia da palavra.
Eu1- Entendi... você sou eu.
A mesma coisa acontecia quando pronunciava a palavra eu.
Eu2- Isso mesmo.
Eu1- E por que eu estou com essa aparência? Totalmente diferente do que sempre foi.
Eu2- Por que você se importa com isso?
Eu1- Por que eu quero entender alguma coisa, qualquer coisa, e você não me explicou nada até agora.
Eu2- Eu não preciso explicar nada, você entende sozinho...
Eu1- Então quem sou eu?
Eu2- Finalmente uma pergunta inteligente... mas não repita muito isso em voz alta, as pessoas podem achar que você está louco.
Eu1- Já que é uma pergunta inteligente eu quero uma resposta de verdade agora, e outra coisa.. você fala como se eu tivesse muito medo da loucura....
Eu2- e você acha que não? Não aprendeu merda nenhuma com tudo que passou até agora na sua vida? O medo da loucura sempre foi uma das coisas que mais te prendeu, que mais de condicionou. Essa é uma das coisas que mais ajuda a responder à sua pergunta... “quem sou eu?”. Mas pergunta isso pra sua memória, pro seu passado.
Eu1- eu tenho a impressão de que nada que você fala faz sentido, mas ao mesmo tempo eu entendo tudo com tanta clareza.
EU2- Então você, sabe o que fazer, eu te posso te mostrar com clareza TUDO que você for capaz de lembrar.                 
Eu1- Quero descobrir cada coisa. Tudo que me fez ser o que sou, ser quem sou, o que me levou fazer o que fiz e o que faço. Queria lembrar tudo em ordem cronológica. Pra saber o que me levou a fazer tudo que fiz até hoje, como cheguei aqui.
Eu2 – Acha que é fácil ter acesso à primeira lembrança? É primeira informação absorvida pela sua memória de longo prazo que ainda está presente em você. Calma, descansa, tenta esvaziar sua mente, você vai ter muito tempo pra encontrar respostas.

Me despreocupei. Deitei-me, e dormi.

É só o que quero lembrar por hoje, despendo um esforço grande ao acessar as memórias com clareza.

Mas preciso que acredite em mim, uma pessoa que seja.
Tenho respostas que talvez você procure. Tenho uma história que talvez respondam suas perguntas.
E isso é só o começo.

2 comentários: